fbpx

Programa Brasil Mais quer chegar a 70 mil empresas em 2021

Programa que moderniza e amplia a produtividade de empresas retoma as atividades em março.

O “Programa Brasil Mais”, uma iniciativa do Governo Federal que visa aumentar a produtividade e a competitividade das empresas brasileiras, está com inscrições abertas para atender empresas em nove cidades do Noroeste Mineiro e do Alto Paranaíba. Com início em março, o programa busca 220 empresas dos ramos do comércio e de serviços. O mesmo acontece no Espírito Santo, onde a meta é atender 2.100 empresas do setor industrial.

A expectativa é que em 2020 o programa tenha um desempenho parecido com o de 2020, quando a meta era de atender sete mil empresas até dezembro, mas acabou realizando 9.334 atendimentos de empresas em vários estados do país.

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa: “Queremos ajudar os pequenos negócios a alavancarem produtividade”

O Mais Brasil é coordenado pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME) e realizado em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Sebrae e SENAI, tem como objetivo ajudar micro, pequenas e médias empresas a modernizarem seus negócios e ampliarem a produtividade com ferramentas de baixo custo e alto impacto.

“Os números do ano passado foram surpreendentes. Este é um programa de magnitude nunca antes feito no Brasil. Nossa expectativa é atender cerca de 70 mil empresas em 2021”, afirmou o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, coordenador do programa. Segundo o secretário, o Brasil Mais está atingindo seu objetivo, mesmo neste período de pandemia, que é o de “ajudar os pequenos negócios a alavancarem produtividade por meio da melhoria das capacidades empresariais e digitais”.

O novo ciclo do programa está marcado para começar em março de 2021, mas desta vez será aberto para os empreendedores de todo o país. Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, serão disponibilizadas 22 mil vagas com 100% dos custos subsidiados pela instituição. Após três meses do final do atendimento pelo Agente Local de Inovação (ALI), está prevista outra visita à empresa pelo agente do Sebrae para uma nova avaliação e mensuração de resultados.

“Durante os quatros meses desse ciclo será realizado um plano de ação e, caso haja interesse do empresário, ele também poderá solicitar consultorias especializadas do Sebrae que têm uma contrapartida do empresário de 30%”, explicou.

Presidente do Sebrae, Carlos Melles: “Faturar mais e gastar menos é prioridade para os empresários”.

O Programa

O programa Brasil Mais tem o objetivo de contribuir com a elevação do nível de produtividade e competitividade das empresas brasileiras em um cenário de transformação digital. A iniciativa está voltada especialmente aos pequenos negócios e empresas de médio porte, dos setores da indústria, comércio e serviços. A meta é atender cerca de 120 mil empresas até dezembro de 2022.

O programa tem ações em dois eixos principais: melhores práticas produtivas (disponível para a indústria), e melhores práticas gerenciais (disponível para empresas de todos os setores, desde que sejam de micro ou de pequeno porte). Na plataforma, as empresas interessadas terão acesso a serviços e atendimentos assistidos, ferramentas de autodiagnóstico e conteúdos exclusivos que auxiliam na melhoria da gestão e produtividade do negócio.

Ao se cadastrar no programa, no site www.gov.br/brasilmais, a empresa escolhe em qual dos eixos tem interesse em ser atendida, responde a um questionário de autodiagnóstico para avaliar o seu grau de maturidade de produção ou gestão e é encaminhada para o atendimento, assistido por um dos parceiros do programa: Sebrae ou Senai.

O Sebrae promove o aperfeiçoamento das habilidades e práticas gerenciais das micro e pequenas empresas de todos os setores da economia envolvidos no programa, por meio da oferta de orientação técnica para inovação em temas gerenciais prioritários para cada empresa. Para isso, a instituição vai envolver 1 mil Agentes Locais de Inovação (ALI).

“Nesse momento, mais do que nunca, faturar mais e gastar menos é prioridade para os empresários. E em um cenário tão novo, é preciso pensar e agir diferente. O Sebrae vê, então, como prioridade, estimular a inovação para que as empresas se tornem mais produtivas”, afirma o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Com informações do Sebrae

Compartilhe Esta Postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Assine a nossa newsletter

Receba Atualizações do Comércio da Serra.

Mais para explorar

Deseja Saber Mais Sobre Nossas Soluções

Vamos Conversar