Os impactos do coronavírus para empresas menores podem ser amenizados. Veja o que fazer:

Os impactos do coronavírus na economia já são gigantescos, mas ainda não se sabe por quanto tempo a quarentena será necessária e qual será a extensão dos danos no longo prazo dessa parada forçada. Um fato é certo mesmo ainda no começo desse caminho desconhecido: será um grande desafio e com impactos imediatos, já que muitas empresas fecharam suas portas indefinidamente para o isolamento.

Nesse momento turbulento, a saída é usar artifícios que sempre fizeram parte da gestão do pequeno empresário, como criatividade, flexibilidade e muita resiliência. E, claro, em caso de necessidade, utilizar a poupança de emergência. “Ela deve ser usada com muito cuidado neste momento, apenas para cobrir os gastos inadiáveis. Se acabar, a saída é recorrer ao crédito bancário. Mas lembre-se: nada de cartão de crédito ou cheque especial”, diz Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Separamos abaixo algumas dicas para sua empresa sobreviver a este momento de instabilidade:

Redes sociais para vender

O uso intensivo das mídias sociais já é uma realidade para uma parcela significativa das pequenas empresas, que veem nelas um canal barato, de fácil utilização e que permite um contato direto com os clientes.

Com os impactos do coronavírus, é hora de utilizar esse canal ainda mais como uma plataforma de vendas. Para aumentar a visibilidade de seu negócio, além de patrocinar posts, você pode pensar em ações online que presenteiem o cliente. Academias, por exemplo, estão abrindo as aulas de maneira online para clientes e não clientes. Ao fim da quarentena, essa ação terá efeitos de prospecção.

Lembre-se: todo mundo está em casa, então o uso das mídias sociais provavelmente crescerá exponencialmente.

Delivery: opção para quem vende produtos

As empresas estão com as portas fechadas pela quarentena, mas nem por isso precisam parar de produzir e oferecer seu produtos. O delivery vem sendo uma solução prática e interessante para manter os clientes satisfeitos e conseguir segurar o fluxo de caixa.

Alguns setores, como o de alimentação rápida, podem experimentar até crescimento de faturamento nesse momento.

Quem já trabalha com entregas deve reforçar o cuidado e criar um protocolo de higiene para proteger do vírus os clientes e os funcionários do delivery.

Busque parcerias

As pequenas empresas podem apostar nas parcerias para tentar passar pela turbulência econômica na época do coronavírus. Uma padaria pode se juntar a outros fornecedores e montar uma cesta de café da manhã para entrega delivery ou para sorteio entre clientes que pedirem comida nessa modalidade, divulgando todas as marcas.

Pacotes de vendas

Quem trabalha com serviços ou venda de produtos pode apostar na divulgação de pacotes de venda para conseguirem adiantamento financeiro. Um salão de cabeleireiro, por exemplo, tem a opção de oferecer um pacote com cortes futuros (2, 3, 4) mediante um desconto para pagamento à vista.

Os cartões-presente também são úteis: o cliente pode comprá-los agora, com desconto, e deixar para usá-los mais à frente. Há várias alternativas que podem ser consideradas de acordo com o ramo do negócio.

É sempre importante lembrar que essas são medidas emergenciais para o fluxo de caixa não sofrer tanto no momento atual, mas que futuramente pode também haver impacto com essa antecipação de receitas. A boa gestão financeira será mais importante do que nunca.

Vendas online

Assim como o delivery, as vendas por e-commerce devem crescer muito com a quarentena obrigatória. Se você ainda não tem um site de vendas online, uma opção é enviar listas de produtos por e-mail ou Whatsapp com fotos e preços e tentar fazer a venda à distância.

Para quem já possui a estrutura de comércio eletrônico, a hora é de aumentar a atenção e oferecer o máximo possível de segurança, informações e facilidade para fechar os pedidos.

Trabalho remoto

Nem todos os ramos de pequenos negócios podem seguir o conselho de deixar a equipe em trabalho remoto, mas a ideia é muito boa e eficaz na época da quarentena. Hoje, há diversos programas e aplicativos que ajudam na gestão de tarefas, controle de acesso e compartilhamento de trabalhos online.

Além disso, pode ser uma boa experiência e uma oportunidade pra fazer do home office um dos métodos de trabalho adotados pelas empresas mesmo depois desse período.

Cortes de custos

Considere substituir matérias-primas ou insumos, caso tenham peso grande em seu orçamento, e tenha atenção também aos custos fixos, às vezes, deixados de lado porque já “estão no DNA” da empresa. Muitas vezes, há espaço para redução.

Negocie com fornecedores

Além da redução de custos, a negociação com fornecedores será inevitável para os pequenos e médios empresários. O aperto econômico vem em efeito cascata, então, o fornecedor certamente já sabe das dificuldades do mercado e precisa ser maleável com prazos, valores ou atrasos.

De olho nas dívidas e nos prazos

No dia 16 de março, a FEBRABAN emitiu um comunicado dos 5 maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander) com o comprometimento de atender solicitações de aumento de prazo para pagamento de dívidas. A prorrogação será de 60 dias após os vencimentos originais das dívidas de clientes pessoas físicas, micro e pequenas empresas, abrangendo os contratos já em vigor.

As empresas devem entrar em contato com os bancos utilizado para conhecer as condições e como aproveitar a prorrogação de prazo. As regras são diferentes para cada instituição financeira.


“Os micro e pequenos negócios, em geral, não tem fôlego para sobreviver muito tempo em uma situação como essa, em que o fluxo de caixa fica interrompido pela falta de demanda. Sendo assim, pode ser inevitável a falta de dinheiro para pagar as contas. Se isso acontecer, a melhor saída é negociar com o credor. Aproveite o adiamento dos prazos para ter um pouco mais de fôlego”, recomenda Marcela.

Aproveite as sinalizações do governo

As atualizações são quase diárias em relação a pacotes e medidas com reflexo econômico propostos pelo Governo. Para os pequenos empresários, a prorrogação do Simples Nacional foi anunciada no último dia 18. Há ainda prorrogação do pagamento de FGTS e uma medida provisória que altera temporariamente as relações entre patrão e funcionário.

Fique atento – acompanhe as medidas divulgadas nos portais oficiais e saiba qual a melhor forma para direcionar os esforços e passar por essa fase da melhor forma possível.

Fonte: meubolsofeliz.com.br

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>